Entenda a diferença entre Cloud híbrida e Multicloud

Geneses IT

Somos feitos de gente + serviços + Tecnologia.

Compartilhar

Subir suas aplicações para a nuvem não é tão simples. Existem uma série de perguntas a serem feitas e diversos fatores que devem ser levados em conta ao contratar um provedor de nuvem.

Cloud híbrida e Multicloud. Dois termos que são relativamente parecidos, mas totalmente diferentes. O mercado ainda tem dificuldades em compreender as diferenças entre as nomenclaturas, principalmente quando os dois termos são utilizados de forma ambígua.

Primeiro, vamos explicar o que é o Multicloud

Como o próprio nome já diz, é o uso de múltiplos serviços em nuvem de provedores diferentes, aliado à combinação de tecnologia, proximidade com o negócio, etc.

Qual é o principal objetivo ao adotar a nuvem? Alavancar a tecnologia. Existem diversos tipos de nuvem no mercado, um leque de possibilidades enorme à sua disposição e cada uma delas com características diferentes que podem ser adequadas a diferentes aplicações dentro da sua empresa.

Diversas aplicações dentro da empresa têm necessidades diferentes: algumas precisam de uma latência menor, outras de um espaço maior, etc. Quando pensamos nesse ponto, o Multicloud se faz efetivo: permite que as empresas utilizem nuvem com tecnologias e características diferentes.

Escolher qual é o melhor provedor de nuvem, aquele que mais se adequa não somente ao seu negócio como um todo, mas às suas aplicações específicas, é uma tarefa difícil que precisa de todo um estudo e pesquisa.

A Nuvem Híbrida

Resumidamente, a nuvem híbrida é a combinação entre nuvens privadas (data centers alocados dentro da própria empresa) e nuvens públicas (data center externos, instalados em provedores de cloud, fora das empresas); porém, não necessariamente de fornecedores diferentes, como no Multicloud. Se você ainda não sabe da importância da nuvem para a sua empresa, clique aqui e saiba mais!

O ganho de escala e economia financeira pode ser atrelada à nuvem pública, e as características para workloads personalizados e bem específicos para as nuvens privadas.

Sem contar aqui que as nuvens privadas podem ser divididas em duas categorias bem definidas, conhecidas como nuvem privada interna, e nuvem privada externa, mas vamos deixar isso para outra hora!

Cloud Broker

O que podemos aprender com tudo isso? Quando as palavras “vamos para a nuvem! ” são ditas, não será uma simples escolha de qual provedor de nuvem você prefere. Uma série de questões devem ser levantadas, sempre visando qual provedor de nuvem será mais indicado e se adaptará melhor a tal aplicação.

Um Cloud Broker (facilitador de nuvem) pode ser a solução na hora de contratar a melhor nuvem para o seu negócio. Atuando como um corretor de nuvem, o Cloud Broker tem o objetivo de colher as preferências, necessidades, contexto organizacional e infraestrutura do cliente para encontrar as opções que se encaixam no perfil da empresa.

Quer saber mais sobre esse serviço? Clique aqui

Referências:

http://computerworld.com.br/como-mudar-para-nuvem-e-nunca-se-arrepender
http://computerworld.com.br/cloud-hibrida-ou-multicloud-entenda-diferencas
http://computerworld.com.br/inconsistencias-nos-processos-e-ambientes-sao-obstaculos-adocao-de-multicloud
http://computerworld.com.br/multicloud-se-já

Comentar via Facebook

Comentário(s)